sábado, 4 de julho de 2020

Derek/Yang - Não desista do seu amigo.

Grey's Anatomy

Amiguinhos...
Se você nunca assistiu Grey's Anatomy, esse post não fará muito sentido para vc...
Eu falo como se alguém ainda visitasse esse blog hahahahaha.
Enfim...
Os dois da foto são personagens do seriado mencionado.
                                        Cristina Yang e Derek.
Não lembro em qual temporada estou, acho que na sétima.
Houve um tiroteio no hospital, alguns personagens morreram, a maioria sobreviveu.
Mas quem ficou mais afetada com esse acontecimento, foi a Yang, que teve que operar o marido da sua melhor amiga que havia tomado um tiro, diante de uma arma apontada para sua cabeça, pelo louco que entrou no hospital atirando em quase todo mundo, porque sua esposa tinha falecido lá.

Yang é literalmente a melhor cirurgiã cardio do seriado, simplesmente brilhante.
E com esse acontecimento ela desistiu.
Ninguém sabia como ajudar ela, todos achavam que ela tinha que trabalhar e pronto.
Não foi por falta de tentativa, ela simplesmente não conseguia mais e se demitiu.
Derek conseguia entender, pq ele tbm já havia desistido em uma das temporadas anteriores.
Ele conseguiu voltar ao hospital com um pouco mais de facilidade do que Yang, mas ele a entendia.

Quando ela resolveu dar uma festa de inauguração da sua casa nova com Hunt, todos os amigos resolveram que ia fazer uma intervenção, achando que ajudaria, mas Derek sabia que seria o oposto de ajuda-la, então ele chegou na festa primeiro que todos e a levou para o telhado, lá ficaram tomando vinho e conversando sobre o piso original da casa. Pq ele a entendia.

Ele nunca desistiu dela, bom, pelo menos até o episódio em que ele leva ela para pescar, não desistiu.
Ele a forçou em ficar em silêncio durante a pesca, a desligar um pouco a mente, no começo achei meio grosseiro, mas no fim das contas era isso que ela precisava.
Enquanto seu marido e sua melhor amiga já não sabiam mais o que fazer, Derek a entendia.
E ele sentia que devia tudo a ela por ter salvo sua vida, mesmo correndo o risco de perder a dela.
No final, ela pescou um peixe e ao tirar foto com o peixe, sentiu um alivio muito grande, chorou, inclusive. E Derek falou para o rapaz tirar a foto mesmo assim, para ela poder sempre se lembrar daquele momento. Ele não desistiu, teve a paciência que ngm mais teve e conseguiu.

O que estou tentando dizer é que as vezes, por mais que vc não saiba o que fazer para ajudar um amigo ou uma amiga, não desista, seja paciente, continue tentando, as vezes, vc aposta em algo que não faz ideia de que dará certo e pode dar.
Não desista.
Por mais que falem que não querem ajuda, querem.
Por mais que vc acha que vai chegar tarde demais lá, continue correndo, não pare.
Por mais que vc acha q não vai conseguir ajudar essa pessoa, continue tentando.
Vc provavelmente não deve nada para ninguém, mas se vc pensar melhor, vc a compreende.
Vc a entende. Vc entende sua dor, sabe o espaço e o tamanho de cada passo que precisa ser dado.
Sabe a hora de deitar no chão com a pessoa e a hora de força-la a levantar.
As vezes demora, muito mais do que se pode imaginar e essa demora pode causar perdas como consequências, mas não desista. Continue tentando.

Para quem assistiu o seriado, viu o sorriso de missão cumprida e de "eu acredito em vc" que Derek deu quando Yang chorou segurando o peixe, acredite em mim, vale apena, sempre vale apena.
Existem amizades que são para sempre.
E se por algum acaso, bem acaso mesmo, vc não conseguir coloca-la em pé novamente, não tem problema, pq desde o começo vc tentou e só parou quando o silêncio tomou conta, qdo a música parou.
Quando a batalha acabou, não tinha mais guerra, não tinha mesmo como continuar.
Mas vc tentou.
Não desista.
Estenda a mão para aquele amigo que precisa de vc.
Estenda a mão para aquela amiga que precisa de vc.
Estenda a mão e segure com toda a força que vc tiver, não solte, pq vc acredita nela e vc sabe disso.

Faça o que tem que ser feito, mas não desista.
Os verdadeiros amigos são exatamente para isso.

Stream 11 free Derek Shepherd + Greys Anatomy radio stations | 8tracks  radio apps



















domingo, 28 de junho de 2020

28 de junho! POST GIGANTE SOBRE ESSE GRANDE DIA!

Por que 28 de junho é o Dia do Orgulho LGBT – Portal Aberje

Boa noite galera!
Como vocês estão?
Bom, eu, o único "ícone" trans assumido da empresa, da família e talvez da minha rede de amigos, como eu poderia deixar esse dia passar e não falar nada?
Vai além de uma obrigação.
Por muitos e muitos anos, o lgbt vem sofrendo preconceitos, agressões físicas e verbais e até a morte, simplesmente por ser quem somos.
2019 anos se passaram, 2020 daqui a pouco ficará no passado também e mesmo tantas décadas passadas, o preconceito infelizmente ainda existe em muitos lugares, em diversas partes do mundo, em uma quantidade que você não pode imaginar.
Amigos, não é só pq não é passado no jornal toda vez que acontece que significa que o preconceito acabou, pq não acabou, está longe de acabar.
Quer um exemplo vivo que ocorreu em pleno 2020?
Pois bem, antes da pandemia eu estava em um bar aqui perto de casa, com uma amiga do trabalho, estávamos bebendo e conversando numa boa, sobre diversos assuntos, já estava bem tarde e junto com a gente ainda tinha tinham mais 2 mesas, uma na nossa frente, a outra um pouco atrás da gente.
E o atendente foi até essas duas mesas e perguntou se podia trocar o copo deles por copo de plástico, para ele ir adiantando a louça que tinha para lavar, mas que eles podiam continuar bebendo tranquilamente.
Quando ele chegou na nossa mesa, esse mesmo rapaz disse para irmos beber em outro lugar que ele ia fechar o bar. Minha amiga então confusa, perguntou porque as outras mesas podiam ficar e nós não.
O cara me olhou de lado e depois disse que não queria encrenca, nem confusão, que só queria que a gente fosse pra outro lugar beber e entrou pra buscar a maquininha do cartão.
Minha amiga ali sentada, parada, confusa não estava entendo muito bem, enquanto eu juntava nossas coisas, tipo celulares, cigarros, blusas, etc.
Quando eu terminei vi que ela ainda não tinha se mexido, então eu lancei logo pra ela:
"X, ele veio nos dizer isso logo após ter me visto entrando no banheiro masculino aqui do bar. Não entende que o problema sou eu? Desde que ele me viu entrando lá, ele só tem me dado patada toda vez que falo com ele para pedir uma cerveja ou algo assim. Então relaxa, se não me querem aqui, não ficarei, vamos pagar e ir embora."

Ela entendeu, mas me arrependi de ter explicado, pq ela ficou muito furiosa.
Muito mesmo.
Quando o rapaz voltou com a maquina de cartão, achei que ela ia fazer ele engolir a máquina, de tão brava que ela estava, ela começou a questionar, falar algo, brigar com o cara e veio então o dono do bar para saber o que estava acontecendo, mandou o atendente entrar e pediu não sei quantas desculpas, ela pagou a parte dela, eu a minha parte e enquanto pegava nossas coisas para ir embora, o atendente voltou e já foi tirando a mesa e a cadeira.
A briga começou tudo de novo.
E ela me olhou como quem perguntasse se eu não ia falar alguma coisa.
Eu respondi com uma cara de quem falava que não adiantaria absolutamente nada.
O dono lhe deu uma latinha de Skol estupidamente gelada.
Eu achei abuso ela aceitar, mas quem sou eu pra dizer isso?
O dono pediu mais não sei quantas mil desculpas e disse que na próxima vez que voltássemos, uma rodada seria por conta dele.
Não posso dizer que nunca mais voltamos, pq a pandemia começou e o mundo mudou.
Antes dela entrar no Uber ela me perguntou pq eu não falei nada, não fiz nada.
E eu só expliquei que estou extremamente cansado de lutar uma guerra que não tem fim. Que conforme vamos ficando mais velhos, amadurecidos, aprendemos a avaliar a situação antes de avançar, simplesmente tem batalhas que não valem apena o sangue no chão.
Que não vale apena o estresse, a chateação, que com o tempo, a gente acostuma.
Com o tempo, tudo passada.
Como aquela noite, por exemplo, ficaria apenas na memória de um passado triste e esquecido.

Querem outro exemplo?
Uma pessoa que conheci, que não considero amigo, nem nada do tipo, um dia me disse que ser trans é uma escolha, que a gente escolhe se quer ser trans ou não, se quer passar por todo esse sofrimento ou não, que tudo na vida é uma questão de escolha.
Que se é tão difícil assim viver sendo trans em um mundo como esse, basta apenas viver a vida com o sexo que temos no corpo.
Como se fosse simples.
Como se fosse...SIMPLES!
Como se realmente pudêssemos escolher.
Quem escolheria ter uma vida cheia de preconceitos onde você tem que lutar 3x mais para ter o mesmo direito que uma pessoas cisgênero?
Quem escolheria uma vida que você tem que deixar trancada no armário pq as pessoas não entendem?
Quem escolheria uma vida em que vc é julgado pela maneira que vc vive, por quem vc ama?
Ama!
Quem escolheria uma vida na qual você está marcado para morrer só pq ama alguém do mesmo sexo?
Quem escolheria uma vida na qual você está marcado para morrer só pq o sexo da sua alma não é o mesmo sexo que do seu corpo?
Quem escolheria uma vida que vc é julgado por gostar de homem e mulher ao mesmo tempo?
Quem escolheria uma vida tão triste?
Tão triste que muitas pessoas chegam a se suicidar por não aguentar mais a dor diária arrebentando seu coração?
Chega a ser ridículo.
Então alguém me disse, alguns meses depois, que ele não está passando por uma fase boa, eu não senti nada, absolutamente nada e achei isso ótimo, pq não senti raiva, ranço ou ódio.
Não desejei nada de ruim a ele.
Apenas, que de alguma maneira, que ele aprenda com a vida, de que nós, LGBT somos exatamente normais, como qualquer outra pessoa, merecemos todo o amor e carinho como qualquer outra pessoa.
De alguma maneira, lhe desejo muito aprendizado.
E isso meus amigos, é amadurecimento.
Demorei, mas acho que estou chegando lá, amadurecendo.
E isso é bom, é ótimo.

Eu espero, do fundo do coração, que vcs continuem lutando, eu continuarei por aqui, do meu jeito, mesmo sentindo que minha identidade está sumindo, lutarei por aqui.

Eu espero, do fundo do coração, meus amigos, que vocês se assumem literalmente, eles não são melhores do que nós para nos manter dentro do armário.
E quando as coisas ficarem apertadas, respire fundo e continue lutando.

Lembrem-se sempre que a liberdade que temos hoje, foi porque outras pessoas lutaram um tempo atrás, outras pessoas tiveram coragem suficiente para sair do armário, assumir ser quem, vestir a camisa e ir pra batalha.
Lembrem-se que nem todos voltaram vivos dessas batalhas, dessa guerra.
Mas se pudessem voltar no tempo, teriam feito tudo de novo, pq sabiam que estavam lutando por um bem maior, pelo futuro do seu povo.
É nosso dever preservar esse legado.
É a nossa obrigação continuar essa luta.
Sair do armário, vestir a camisa e ir a luta.
Lutarmos sem parar, até que preconceito seja apenas uma palavra sem sentido, sem cor alguma.
Seja apenas uma palavra vazia.
Podemos não voltar vivos, mas para a próxima geração, tenho certeza que será, como eu posso dizer...
Eles terão um pouco mais de liberdade do que nós temos hoje.
E eles vão olhar pra trás com sorrisos gigantes agradecendo por termos lutado.
Assim como eu olho para trás com o coração cheio de orgulho, com os olhos cheios de lágrimas, sempre agradecendo, por todos aqueles que lutaram.
Por todos aqueles que tentaram.
Não é fácil, eu sei disso, faz 4 anos que me assumi como trans e minha vida ainda esta de cabeça para baixo, minha família não respeita a minha identidade de gênero, mas ngm disse que seria fácil, enquanto eu luto aqui, vc luta ai e se morrermos lutando, não tem problema, pq a próxima geração poderá desfrutar da vitória que um dia será tão grande que ngm vai acreditar.

Apenas, não desista.
Eu sei, é difícil, é doloroso, as vezes tombamos e não queremos levantar.
Mas é preciso.
É necessário.
É urgente.
O futuro das crianças lgbt do amanhã, depende das nossas atitudes do hoje, do agora e acima de tudo, do sempre, sempre em combate.

Não desista, meus amigos.
Não hoje.

Cerca de 550 soldados alemães são classificados como 'desleais à ...

sábado, 27 de junho de 2020

Depois de quinta!




Olá amiguinhos!
Todos bem?
Espero que sim, pelo menos na medida do possível.

Bom, o que vim postar hoje é sobre quinta-feira que eu fiz a meleca de postar no FB sobre que eu estava triste pensando no porque devemos continuar se supostamente o fim do mundo seria agora. Que não fazia sentido algum fazer planos para o futuro, pq não existe futuro. Que eu não conseguia entender, pq deveríamos continuar.

Algumas pessoas vieram falar o que achavam sobre isso.
Algumas postaram no meu próprio status, outras, me chamaram no whatssap.
Foi uma polêmica e tanto. De certa forma foi engraçado pq fazia tempo que eu não me metia em uma polêmica.
Mas...

Acho que as pessoas não entenderam bem o que eu quis dizer no post.
Então depois da polêmica fiquei pensando um tempão no que eu disse e no que as pessoas teriam entendido.
E fiz o que uma amiga me ensinou, tentar ver a mesma situação de outros ângulos e isso ajudou bastante a mudar meu pensamento, só que ao invés de postar no FB como status e correr o risco de gerar nova polêmica, resolvi escrever aqui.

Antes eu pensava "Meu Deus, é o fim do mundo! Eu não quero morrer!
Agora meu pensamento está assim:

Se esse é mesmo o fim do mundo, pelo menos estou passando esses últimos tempos com a minha família que eu amo demais, em casa, todo mundo está em casa, ninguém no hospital lutando pela vida.

Se esse é mesmo o fim do mundo, pelo menos estou me despedindo fazendo coisas que gosto, jogando vídeo-game, trabalhando, assistindo séries, aprendendo Excel, fazendo ginastica, escrevendo no blog...
Bebendo cerveja 1x na semana, geralmente aos domingos.

Se esse é mesmo o fim do mundo, pelo menos estou em contato com meus amigos, meus amores, minhas quase namoradas, minhas ex namoradas, meus colegas, conhecidos, amigos de amigos.

Se é esse mesmo o fim do mundo, estou criando músicas na minha cabeça enquanto tomo banho, músicas que não existem, me empolgo e canto em voz alta, até um dos meus pais bater na porta e perguntar se eu estou bem ou se estou morrendo.

Outro dia bebi escutando Mamonas Assassinas.
Acreditam?
Acho que já faz uns 20 anos que eles se foram, não?

É como alguém me disse, precisamos aprender a aceitar aquilo que não podemos mudar.
É bem estranho pq, trabalho na administração então, para todos os problemas que levam até nós de uma maneira ou de outra nós conseguimos encontrar uma solução, mas esse não é um problema administrativo, pelo menos não do nosso prédio.
O planeta terra está enfrentando um inimigo invisível, não adianta.

Se é mesmo o fim do mundo, temos que aceitar sem resmungar.
Aproveitar as coisas boas, as partes bonitas da vida enquanto temos tempo.
Tentar de alguma maneira inacreditável, ser feliz.
As vezes me imagino sentado numa cadeira na varanda, fumando um cigarro, enquanto o mundo começa a se destruir e uma música dramática no fundo. E eu ali fumando como se já estivesse esperando por isso, ou talvez, quem sabe, aceitado isso.
O mundo diante dos meus olhos caindo aos pedaços e eu ali fumando e aceitando que eu não poderia fazer absolutamente nada para mudar o que estava acontecendo.

Deus nos deu um planeta para morar.
Um lugar que poderia ter sido a coisa mais linda do mundo, todos os dias.
Deus nos deu um planeta para morer.
Um lugar que poderia ter sido um paraíso, todos os dias.

O problema é que o ser humano estragou o mundo.
A inveja.
A ganância.
A fome de poder.
A briga pelo dinheiro.
A mentira, enganação, manipulação.
Dinheiro, dinheiro, dinheiro.
Poderia ter sido um lugar inesquecível, se não fosse o ser humano e o seu egoísmo.
Não estou falando de ninguém especifico.
Estou falando do ser humano como um todo.
Nós estragamos o planeta terra.
Nós estragamos o próprio mundo em que vivemos.
Nós falhamos miseravelmente.
E continuamos, como se fosse normal.
Triste realidade.

Enfim, o lance é:

  1. Escute suas músicas prediletas, conheça novas músicas, solte a voz mesmo que não saiba cantar tão bem quanto a banda.
  2. Termine de assistir todas as séries que você começou, reveja aquela série predileta e vá conhecer outras séries.
  3. Não assista tanto jornais, acreditem em mim, não vale apena, faz mal para a saúde mental.
  4. Vá aprender alguma coisa mesmo que você não possa aplicar no seu dia a dia, eu por exemplo, estou aprendendo Excel e espero algum dia poder ensinar para outras pessoas também.
  5. Assista filmes. Escolheu um que não gostou? Assista outro.
  6. Faça alguns exercícios em casa, alongamento ou até mesmo Yoga.
  7. Ligue para alguém que você não conversa faz um tempo, certeza que terão novidades para trocar.
  8. Vá fazer aquelas coisas que você sempre disse que não tinha tempo para lidar com aquilo.
  9. Leia ou escreva um livro, ou aprenda a desenhar. faça algo que vc nunca se imaginou fazendo.
  10. E não menos importante, sempre, sempre, sempre, agradeça a Deus, pela proteção, pela benção, pelo amor, carinho e saúde acima de tudo.
Então meus amigos,
SEEEEEEEE esse é mesmo o fim, vamos aproveitar enquanto podemos.
E seguir em frente do jeito que dá.
E ao invés de reclamar que acabou, olhar para trás e ver como foi bom.
Lembrar com alegria da noites de bares com os amigos.
Dos dias nos parques.
Dos abraços apertados para matar a saudade.
Do cinema, com pipoca gigante e coca cola.
Dos tombos de skate por causa de uma pedrinha.
De encontrar pessoas na estação do metrô para trocar jogos.
De chegar cansado doo trabalho e só querer tomar uma cerveja e relaxar até o dia seguinte.
Dos beijos proibidos na esquina em baixo da luz do post.
De aprontar com os coleguinhas de trabalho.
De se estressar, sai do trabalho xingando todo mundo, fumando um cigarro e voltando pro trabalho mais calmo e sabendo que pode lidar com aquilo.
Das visitas da família que no começo vc lamenta que chegaram, mas no final, foi tão bom que vc não quer q vão embora.
Dos jogos de carta aos domingo.
De chegar de madrugada bêbado torcendo para não acordar a mãe.
Playcenter.
De marcar rolê e quando chegar no dia se arrepender pq preferia ficar em casa.
De conhecer lugares novos.
Andar de bike.
25 de março e 12 de outubro.
Habbis, Burguer King e McDonald.
Missão sair pra comprar presente do dia das mães.
E natal.
E ano novo, naquela esperança de um ano melhor.
Escola, cursos, trabalhos.
Zoologico.
NY.
Neve.
Animais.
Feijão feito na hora.
Pão amanhecido.
Mar. Areia.
Cerveja, refrigerante, chá gelado.
Mensagens no whats de madrugada dizendo q está com saudades.
Um cigarrinho.
Café quentinho.
Cheiro de terra molhada.

A música no final.
A história no final.

Planeta terra.

Obrigado.

Pedro Oliveira.

sexta-feira, 19 de junho de 2020

E no fim, quem eu sou?



Boa noite amiguinhos.
Como estão vocês nessa situação triste de isolamento social e pandemia?
Eu espero que bem e principalmente que estejam se cuidando.
Eu estou bem, minha família, graças a Deus está bem também.

Faz uns dias que estou pensando sobre algo.
Não lembro que dia que foi, acho que foi segunda-feira, que fui na empresa resolver alguns detalhes.
E antes de ir embora chamei uma colega para fumar, fazia tempo que a gente não conversava e toda vez que vou para a empresa acabo falando com outras pessoas, que dessa vez fiz questão que fosse ela.
Fomos para a praça, sentar no banco, fumar e conversar um pouquinho, já que ela estava em horário de almoço.

Eu não lembro qual foi a conversa, não lembro mesmo, sou muito ruim da memória.
Mas lembro que no meio da conversa eu percebi que eu estava referindo a mim no feminino, enquanto ela me olhava com cara de quem tentava entender.
Então logo eu disse que estava falando no feminino pq é assim que me tratam em casa.
Acho que ela entendeu, espero que sim, eu não sabia explicar de outra maneira.

 O que estou querendo dizer é que eu entendo de verdade que estamos lidando com um inimigo invisível que está matando metade do mundo sem tempo de despedida e que eu deveria agradecer por estar vivo e com saúde em vez de reclamar, sim, eu agradeço todas as noites para Deus pela vida e saúde, não só minha, mas dos meus amigos e família.
Mas esse isolamento social está me dando a sensação de que tudo está sendo perdido, sabe?
Tudo o que lutei e venci.
Tudo o que conquistei no suor e nas lágrimas.
Fica parecendo que coloquei a vida no automático, simplesmente por não suportar a derrota.
Sinto como se eu tivesse sumindo, desaparecendo e aquela personagem que criei quando era mais novo voltando a ter vida.
Eu sei que você deve estar pensando "Tome posição, exija que respeitem sua identidade"
Mas galera, família é muito mais complicado do que se pode imaginar, principalmente quando o sentimento que vc tem por eles é muito grande e não quer magoar ninguém, forçar ngm e sim, eu prefiro que todos estejam bem, numa boa, do que eu.
Não podem me julgar, todo mundo tem um grande defeito, porém, poucos assumem ele publicamente.
Ainda bem que pelo menos 1x por semana consigo arrumar um motivo para ir para a empresa, onde todos me tratam como o homem que eu sou.
Ainda bem que no whatssap tenho amigos que me tratam como realmente sou.
E tenho algumas pessoas especiais que não me deixam esquecer quem sou.
E não, eu não tenho dúvida de quem eu sou, mas é bem difícil manter duas identidades, duas vidas.
Mais difícil do que eu poderia ter imaginado.
Mas no amor, existem sacrifícios. Já te falaram isso? Pois é.
Enfim, sei quem sou, tenho certeza de quem eu sou, apenas estou ficando fraco novamente, para lutar contra uma sociedade, contra pessoas que não conseguem entender o que é ser trans, a importância de usarem o pronome certo, a identidade real.
Mas não estou preocupado, eu já estive fraco antes e me levantei.
Me levantarei novamente quando for a hora.
Podem ter certeza, pq simplesmente não pode acabar assim essa história.

E para finalizar, sim, de novo escolhi um por do sol para postar aqui.
Eu sou completamente apaixonado pelo por do sol.
Espero que antes da vida acabar, eu encontre junto ao mar novamente.
Com aqueles ventos gostosos.
Ele sempre renova minha esperança.
Mas em grande parte das vezes, ele me ajuda a aceitar o que eu não quero.
Aceitar o fim.
Aceitar o quase.
Aquilo que poderia ter sido e não foi.
Talvez por covardia.
Talvez por forças maiores.
Talvez por mil e um motivos.

Ah!
Como eu amo o por do sol junto ao mar...

Pedro.

quarta-feira, 10 de junho de 2020

POR DO SOL



Eu não sei explicar direito, mas quando estou triste adoro ver o por do sol mesmo que em fotos como essa acima.
A tela da minha área de trabalho é um por do sol.
Quem mora na cidade, em área comercial, para ser mais exato, não tem muitas opções para apreciar um belo por do sol, ainda bem que essas fotos existem, melhor do que nada.

Bom, muito provavelmente ninguém entenderá o que vou falar, mas vou falar mesmo assim.
Ontem passei o dia me sentindo um caco, não sei bem pq, acho que o tempo nublado da preguiça.
Hoje de manhã acordei bem melhor, pensei em como o dia vai ser melhor que ontem, aproveitar mais.

Eu estava errado.
Conseguiram me magoar logo cedo.
Sim, eu sei que sou muito sensível, que parece que me coração fica do lado de fora do peito, mas eu não consigo mudar isso, por mais que eu tenha tentado.

Eu estava no quintal fumando e meus pais na cozinha.
Escutei ele falando para a minha mãe que eu deveria deixar o cabelo crescer mais um pouco e pentear de lado, minha mãe perguntou se era igual como ele fazia quando era pequeno, ele respondeu dizendo que são casos diferentes por que ELE É HOMEM!
Ele!! Não eu, ele!!!

Para quem não é trans talvez não entenda como é triste esses momentos.
Para quem não acorda todos os dias lembrando que o sexo da sua alma e do seu corpo não são os mesmos, não entenda como é triste esse momento.
Para quem não fica em casa o dia todo devido ao isolamento social, pandemia e tal, ouvindo o dia inteirinho as pessoas te tratando como mulher, não entende.

Não é ruim ser mulher.
Muito pelo contrário.
Sempre achei a mulher um ser mais evoluído do que o homem.
E todas as coisas boas que eu sei hoje, aprendi sendo mulher até me encontrar verdadeiramente.
Não é ruim ser mulher.
Inclusive, se eu fosse, minha vida seria mais fácil, esse momento não iria me doer, me magoar.
Eu não teria uma sociedade inteira para enfrentar.
Não teria q passar por todo um processo que tem q ser feitos em partes porque as pessoas que mandam no mundo não entendem.
A maioria nunca tentou entender a minoria.

Eu sempre disse que as pessoas tem tempo para se adaptar a minha real identidade.
Nunca sequer forcei ngm, cobrei ngm, isso dói, mas sempre estive certo de que esse é o caminho.
O problema de dar tempo as pessoas, é que as vezes, parece que elas não estão tentando se adaptar.
Talvez aquele velho jeito de deixar para depois.
Não me importo de dar mais tempo, mesmo que isso me fere diretamente.
Mas as vezes as pessoas exageram.

E no fim, é como minha chefe sempre diz:
"Ninguém é obrigado a aceitar, mas respeitar, é sim."
Meus pais não precisam me chamar de Pedro ou me tratar no masculino, sei que é difícil para eles mudar as coisas assim depois de 30 anos.
Mas meu pai exagera demais.
Me chama pelo nome antigo a cada 5 minutos.
É irritante.
Ignora-lo não resolveu.
Nós nunca tivemos uma relação boa, mas nem por isso precisa me atormentar tanto assim.
Falando em atormentar, já não basta minha alma atormentada dia e noite?
A guerra inteira dentro de mim e a gritaria dentro da minha cabeça?
Deveria bastar.
Mas não dói nele né, então é fácil.

Contei para uma amiga e ela me perguntou pq eu não falo nada pra ele.
Pq qualquer coisa q eu tente falar, ele não entenderia e ficaria todo irritadinho, o clima iria pesar e não estou na vibe de começar outra luta em busca de respeito a minha identidade, ainda mais agora que estamos todos em casa em isolamento social.

Ainda bem que existe whatssap, assim consigo falar com meus amigos.
Eles me tratam como eu realmente sou. É isso que salva os meus dias.
Tenho sentido muita saudades do meu trabalho, além de me sentir útil, lá todos me tratam como eu realmente sou, me chamam de Pedro, me tratam no masculino.
Lá eu sou livre, eu sou feliz, eu sou completo.
Diferente da minha própria casa.

E sabe o que é mais irônico?
Quando minha avó morreu, achei que tinha acabado essa putaria de duas identidades.
Muito enganado eu estava.
Não acabou.
E sinceramente? Acho que nunca acabará.
Faz 4 anos que eu me assumi publicamente e nada mudou.
Quando minha mãe não esta por perto, alguns primos me chamam no masculino, o que é legal.
Acho que esperam ela sair de perto por respeito a ela.
Não acho ruim, não vejo problemas nisso.
Pq no fim, família é muito complicado.
E eu entendo, de verdade.
Mas meu pai exagera.
É irritante.

Para eu não ficar enchendo o saco das pessoas no whatssap reclamando disso enquanto tem milhares de pessoas morrendo mundo a fora com uma doença q não tem cura, resolvi escrever aqui no blog, afinal, é essa a funcionalidade dele né, desabafar aqui para não alugar o ouvido dos outros.

Enfim, é isso.
Encerro com um pedido.
Se você tem um trans na família, respeite-o.
Você não precisa aceitar, mas o respeito jovem, vem do berço.

E aos que me tratam no masculino só quando minha mãe não esta por perto, podem continuar, não tem problema, ela é a única q faço questão de não magoar nunca no mundo.

Um abraço,

Pedro.

domingo, 7 de junho de 2020

Cartas para ela!!



"Querida xxx, sim, não citarei seu nome aqui, sei a confusão que poderia causar em sua vida, logo eu, citando seu nome.
Nos conhecemos a mais de dez anos e lá no inicio da história, bem no comecinho, tivemos uma mudança rápida de apenas amizade para uma amizade colorida.
Um eu te amo de amigos para um eu te amo como algo mais.
O problema foi a minha infantilidade, como sempre foi.

Você era do mundo.
Adorava viajar, conhecer lugares novos e coisas do tipo.
Adorava balada, curtir a noite e coisas do tipo.

Eu era de um local só.
Adorava ficar em casa, ser caseiro, viver a mesmice.
Adorava um boteco, uma mesinha do lado de fora do bar, beber e conversar.

Você se lembra do dia em que nos vimos pela primeira vez fora das telas do computador?
Estivemos em uma festa de não sei quem, em uma chácara não sei onde, sei que minha família inteira estava lá. menos meus pais, mas você conheceu todo mundo.

Nós sentamos em uma mesa e começamos a conversar.
Eu nem percebi que tinha anoitecido, a conversa estava tão boa que quando percebemos, já tinha amanhecido.
E fomos para o quarto, mas tínhamos que dividir com a minha falecida avó e bisa-avó.
Você me beijou e eu tive medo de elas verem, porque eu ainda não tinha me assumido como uma mulher lésbica, minha família sempre foi religiosa demais.
Você se lembra disso ou enterrou onde ficam as coisas do passado?
Dentro de um velho baú no fundo do oceano?
É lá que estou? É lá que você me jogou?

Você declarou centenas de vezes que me amava, mas como eu disse, eu era infantil demais da conta e não conseguia entender as coisas, eu não sabia a gravidade dos sentimentos, eu não achava que era real.
Como alguém poderia me amar?
Logo eu?
E o que eu fazia? Me enfiava em cada caso apenas por enfiar.
Apenas porque achava que era bonito ficar com várias pessoas ao longo da vida.
Eu fui infantil.
Eu sinto muito.
Muito mesmo.
Eu sei que é tarde demais, mas eu precisava dizer isso.
Você avisou centenas de vezes que ia embora e eu não levei a sério.
Você foi, conheceu outra pessoa e casou.
Não deu certo e se separou e foi conhecendo outras pessoas.
Estava me procurando em alguém e não achava?
Se arrependimento matasse, acredite, estaria morto.
Brinquei muito com os seus sentimentos, com o seu coração e não me orgulho de nada disso. É triste admitir que demorei tanto para amadurecer que quando finalmente aconteceu, era tarde demais da conta.

O tempo foi se passando e não ajudou nenhum de nós dois.
Caminhos opostos, um lado e outro, eu aqui e você ali.
Me afundei no trabalho e não sei dizer o que foi que você fez.
O contato se perdeu.
Sabe aquele barulho de telefone morrendo de tocar que ninguém atende?
Pois é.

Um dia, não sei bem qual, mas a minha vida estava mudada para sempre.
Eu finalmente havia entendido que eu não era uma mulher lésbica e sim um homem trans.
E isso foi uma das coisas mais difícil que já tive que lidar na vida.
Porque como eu disse mais cedo, venho de uma família muito religiosa, onde enfiaram na minha cabeça que ser trans é pecado mortal e agora isso não sai de jeito nenhum de dentro da minha cabeça e faz com que minha alma fique agoniada eternamente.
Eu lembro de ter te contado, como não contar para alguém como você?
E lembro que você disse que eu sabendo que você odeia homens eu não estaria me tornando um. Lembra disso?
Brigamos novamente.
Porque não é questão de escolha, apenas é o que é.
E sabe o que pior ainda?
Eu achei que te procurando e te contando, eu teria seu colo, seu ombro, como eu poderia esperar que vc me desse algum apoio quando não te dei?
Como eu poderia esperar que você enxugasse as minhas lágrimas e me desse forças quando eu não fiz o mesmo por você?
Eu não sabia o tanto que eu era egoísta até esse momento chegar.
Mas eu não podia não ser homem, não tinha como fazer isso, porque é questão de alma, questão de espirito, questão de ser e pronto e acabou.
Não pode ser mudado, não pode ser modificado ou cancelado.
Se te serve de consolo, eu também não queria isso, mas é o que é.
Se eu acreditasse em vida passada, tenho certeza que eu fui um homem muito filho da puta com mulher, para ter vindo em corpo de mulher, aprender tudo isso, compreender a beleza da mulher, interna e externa.
Mas algo de grave devo ter feito para estar preso no corpo de uma mulher.
Não estou dizendo que ser mulher é ruim, estou dizendo que é muito ruim, é desesperador, sua alma ter um sexo e o seu corpo outro.
Desesperador olhar no espelho e não se reconhecer e ainda por cima saber que a história da vida vai acabar exatamente assim.
Se pelo menos isso significasse que estou pagando pelos meus pecados e quando morresse finalmente teria passe para o paraíso, me confortaria.
Mas sinceramente? Eu mereço.
Não sei o que eu fiz, mas sinto que mereço todo esse sofrimento.
É o que é e pronto.
Você não é obrigada a me aceitar, mas sinceramente, achei que de todos no mundo, você seria a que entenderia, mas tudo bem não ter sido, eu não guardo mágoas.
O tempo passou e nos levou novamente para caminhos opostos.
Vidas diferentes.

Hoje você esta casada e tem a sua casa.
Hoje você tem a sua filha, a sua família.
O seu trabalho e os seus sonhos.

E eu?
Eu sou um bêbado, fumante, obeso, com vários problemas de saúde.
Um zé ninguém sem onde cair morto.
Um homem trans que não consegue se aceitar.
Um poeta sofredor.
Um imbecil.

E então te procurei mesmo assim.
Dizendo que quero que você me conheça e eu quero te reconhecer.
Não acho que fui desrespeitoso não.
Eu cheguei pedindo a sua amizade.
O seu whatssap para melhorar a comunicação.
O telefone continua tocando e você não atende.
Eu fiquei aqui esperando, mas chamou até cair.
Eu insisti.
Pedi desculpas por tudo o que fiz e pedi por sua amizade.
"Preciso pensar em algumas coisas" você disse.
E eu só queria a sua amizade.
Fiquei pensando muito sobre isso.
Essa noite até perdi o sono.
3hrs da manhã e eu estava irritado que você curtiu uma foto de uma amiga que temos em comum, mas sequer respondeu minhas mensagens.
Passei a noite em claro, fumando alguns cigarros, foi quando percebi que a minha presença não é bem vinda em sua vida.
Se eu ficasse só iria te atrapalhar.
Foi quando nos separamos que você começou voar alto em direção aos seus sonhos.
Não posso te segurar.
Não posso pedir para que fique.
Tudo o que eu tinha de direito acabou a muito tempo.
Você foi embora e eu fiquei.

Você tem uma família e eu sou um Zé ninguém.
Você tem sonhos de uma vida inteira, eu sequer tenho esperança.
A vida é engraçada, não é?
Conhece aquela música que tem um pedaço assim: Todo grande amor, só é bem grande se for triste...Conhece? Pois é.

Vá.
Vá embora e não olhe para trás.
Vá viver a sua vida.
Você agora esta em um patamar que eu não consigo alcançar.
Faz parte da história.

Vá e não olhe pra trás.
Vá viver a sua vida.
Esta bem melhor sem mim.
Vá ser feliz.
Te juro que você merece.
Vá cuidar e ampliar sua família.
Vá viver seus sonhos e seus desejos.

Porque você casou e tem uma filha.
E eu sou um Zé ninguém.

O único arrependimento é ter brincado com seus sentimentos, com seu coração.
Mas acredite, nunca mais vivi uma história tão bonita quanto a nossa.
E parte de ter amadurecido é saber que passou da hora de te deixar ir.
Sem te procurar novamente.
Sem pedir sua amizade.
Alias, que amizade seria essa que tem q ser pedida? Implorada?
Não precisa mais gastar seu tempo pensando nas coisas.
Vá ser feliz.
Vá ser mãe de família.
Vá viver.

Porque meu amor, jamais lhe esquecerei.
Mas esse é o ponto final.
Você precisa ir e não olhe para trás.
Eu vou ficar aqui onde sempre estive e não vou lhe gritar.
Eu prometo.

Porque você se casou e tem uma família.
Uma vida decente.

E eu?
Estou aqui pensando na cerveja que vou tomar.
O zé ninguém que não tem onde cair morto.
O poeta bêbado que morre na esquina, com um violão na mão quase se voz.
O poeta idiota que não soube amar.
Poeta nada!
Zé ninguém.

Apenas vá.
Adeus.

Pedro.

sábado, 6 de junho de 2020

* Pensamento da noite *



Pensando nas pessoas que perdi ao longo da vida.
Na verdade, para ser mais exato, nos últimos anos.
Pensando sobre meu tio Sergio, que outro dia completou 6 anos desde que se foi, ele sim era um cara que sabia aproveitar a vida. Ele sim!!!

Então penso também em minha avó, que em breve fará dois anos que se foi.
Ela sim era uma mulher de fé, ela sim!!!

Então penso também sobre meu grande amigo Pablo.
Ele sim era um dos raros que acreditava em amor verdadeiro, ele sim.

Penso também nos amigos que perdi ao longo da vida.
Uns porque trabalhavam demais, outros porque SP não serviu para eles.
E aqueles que o tempo simplesmente levou.

Penso também na minha bisa-avó, que se minhas contas não estiverem erradas, em breve fará 9 anos desde que ela se foi.
Só um cigarrinho, era tudo o que ela queria.

Não menos importante, penso nos meus cachorros que também foram para o céu.
Obedientes e alegres, sim, eles eram!!

Penso em todas as pessoas que morreram devido ao corona e em todas as pessoas que continuam a morrer, em como temos um presidente filho da puta o suficiente para não se importar com isso e ainda ficar dificultando as coisas para quem está batalhando contra a doença, passeando por ai e causando aglomeração, sim, o nosso presidente!!

Penso em como a vida pode ter sido mudada para todo o sempre.
Em como existem muitas possibilidade de perder mais pessoas que amo.
Penso em como a vida é curta.
Em como tanta coisa poderia ter sido diferente e não foi por causa do egoísmo do ser humano.
Em como muitas pessoas não aprenderão absolutamente nada com esse "fim de mundo" que estamos enfrentando, porque o pior cego é aquele que não quer ver.
Em como o ser humano estragou o seu próprio planeta que poderia ter sido um paraíso.

Penso nas pessoas que deixaram para falar "eu te amo" quando era tarde demais.
Penso nas pessoas que não souberam aproveitar a presença de entes queridos.
Penso em pessoas em situação terrivelmente triste e ninguém os ajuda a mudar.
Sim, penso na miséria, na pobreza.
E penso em até como que eu fui desistir de ser enfermeiro e salvar vidas.
Eu poderia estar na linha de frente agora junto aos outros soldados.
Mas eu desisti já faz mais de 10 anos e pior que isso é saber que não pretendo voltar, que continuo caminhando sem olhar para trás.
Quase que não tenho arrependimento.
Quase!

As vezes penso em como a mente humana deve ser pior que a bolsa da mulher.
Porque a bolsa da mulher, se você virar de ponta cabeça, cai tudo e você acha aquilo que esta procurando, a mente, uma palavra errada, começa uma guerra inteira dentro dela.

Talvez você esteja se perguntando pra que eu fui escrever tudo colorido desta vez.
Pra ver se a gente consegue lembrar da alegria da vida.
De tudo o que podemos fazer e do que somos capazes enquanto estamos vivos e com saúde.
Pra ver se a gente consegue lembrar que tudo é possível.
Pra ver se a gente consegue lembrar que nenhum problema é para sempre.
Que até essa pandemia vai passar.

Quando foi que você viu pela última vez, um arco-iris no céu?
Parou para apreciar o canto dos passarinhos?
Abriu sorriso com o cheiro de terra molhada?

Quando foi que você riu tanto de fazer a barriga doer?
Disse que ama alguém?
Quando foi que...
Você foi feliz?

Pedro.

E de novo falaremos sobre a depressão!!




Essa semana estive conversando com três pessoas diferentes, duas delas são frequentes na minha vida, a outra deveria ser, mas não é e faz um bom tempo, por decisão dela mesma.
Enfim...
De qualquer maneira, as três falaram sobre como eu não saio de casa para me divertir (estamos falando antes da pandemia, q fique claro) eu não viajo, não saio, não me dou o luxo de conhecer pessoas novas, não me relaciono com mulher nenhuma, não penso em sair da casa dos meus pais, vamos resumir, tudo o que me falaram foi um tipo de "ei, vc não pode viver em mundo só seu."
Prefiro não citar o nome de ninguém, até porque eu não pretendo retomar essa conversa.
Mas foram muitos "Eu acho que vc deveria..." ou "Eu acho que te faria melhor..."
"Você deveria se mexer..."
"Tem um mundo lindo lá fora que vc pode conhecer..."
"Vá atrás daquilo q vc quer pra sua vida..."
"Ficar ai sentado vendo a vida passar não vai mudar em nada..."
"Segue em frente, a vida continua"
"Quando vc acordar pra vida, vai ser tarde demais..."
"Vc é uma pessoa tão boa pra viver trancado"
"Vc não pode reclamar da vida, sabe quantas pessoas dariam para estar no seu lugar?"
"Vc reclama de barriga cheia"
"Você não tem juízo, parece que não vai amadurecer nunca"
"Quando vai virar adulto?"
"Você só pensa em jogar vídeo game"
Etc.

Gente, vamos lá aprender com o titio mais uma vez até pq sei q antes do fim do ano estarei repetindo isso de novo.
Uma pessoa que foi diagnosticada com depressão está doente, sua alma está doente, enfraquecida.
Qualquer coisa que você fale para ela, por mais que seja para o bem dela, não vai funcionar.
Qualquer coisa que você tente para faze-la sair do lugar, não vai adiantar.
Porque isso não é como uma gripe ou uma dor de cabeça que você toma um comprimido e logo passa.
Isso não é algo que você passa no médico, ele te da uma receita, você faz o que ele pediu e segue em frente. Sim, tem psiquiatra e terapeuta para a depressão, mas não é fácil assim, não se resolve em uma ou duas consultas, três ou quarto.
Lembro-me como se fosse ontem, quando eu disse para minha antiga terapeuta que eu estava sofrendo tanto que parecia até uma dor física, bem no peito, do lado esquerdo e lembro dela falando que queria ter um botão em que ela apertasse e ficaria tudo bem para mim, aquela consulta com ela foi bem emotiva, ela quase chorou junto comigo.

Sei lá, sabe?
As pessoas olham pra mim e falam em como eu estou gordo, que tenho uma "academia" em casa e deveria aproveita-la e tomar um jeito. Não é que eu não queira ou que eu não vejo meu tamanho agora, mas por mais q eu cave bem fundo dentro de mim, eu não encontro forças para isso agora. Teve gente que me disse que eu uso a depressão como desculpa para todas as coisas que eu não quero fazer, que confundo a depressão com preguiça.
Antes fosse!
Seria muito mais fácil de resolver e eu não teria q lidar com a dor da alma.

Muitas pessoas falam em como eu deveria estar estudando, aproveitando o tempo que estou em casa devido a pandemia. Como se eu não soubesse disso.

As pessoas falam tantas coisas, mas falam sem entender, como são as coisas para pessoas deprimidas.
A última vez que fui na consulta com o psiquiatra, ele aumentou a dose do meu antidepressivo, de 2 comprimidos para 3 ao dia e se eu não me sentisse melhor dentro de 15 dias, para eu tomar 4 ao dia.
4 comprimidos para me manter em pé todos os dias e não desistir de tudo.
Mas não importa quantos comprimidos são, não importa quantos remédios ou quanto tempo de terapia é feito quando o problema esta na alma, onde ninguém pode alcançar.

Então, o que eu tenho para dizer para vocês é:
Não julguem se vocês nunca estiveram aqui, no fundo do poço.
Não julguem se vocês nunca tiveram alguém próximo enfrentando isso.
Não julguem, ele tem espelho em casa.
Não julguem, ele tem balança em casa.
Não julguem, sua alma esta ferida há muito tempo.
E ele continua tentando, de alguma maneira, seguir em frente.
Se vc não entende o que ele sente, não julgue.

Não é que o seu conselho não seja bom.
Não é que a sua companhia não seja boa.
Não é que as suas opiniões não contem.

É simplesmente o fato do buraco estar na alma, onde ninguém alcança.
Você pode jogar quantas cordas você quiser, mas enquanto a pessoa lá no fundo do poço, não estiver pronta, ela não irá agarrar a corda.
É preciso de tempo, principalmente, pq depressão é uma doença que não tem cura, somente um tratamento eterno que nem sempre é eficaz.

Não é frescura.
Não é preguiça.

Acreditem, é preciso ter uma força 3x maior de quem não tem depressão para seguir a vida em um mundo como esse.
É complicado, muito mesmo, mais do que se pode imaginar.
E a ironia é que antes de eu ser diagnosticado, eu achava que era questão de lutar contra a própria mente, hoje vejo como estou enganado.

Algumas pessoas acham que quando eu me aceitar como trans, eu me libertarei de tudo isso.
Mas será?
Lembro quando colocava a culpa na minha avó, ela morreu e eu continuo preso.
Ai coloquei a culpa nos meus pais, eles já sabem e eu continuo preso.
Coloquei a culpa na família, nos colegas de trabalho, nos amigos e no fim, o mundo inteiro sabe e eu continuo preso.
Falei pra mim mesmo que quando eu trocasse meus documentos, eu seria livre. Não sou.
Falei pra mim mesmo que quando todos soubessem eu seria livre. Não sou.
Me convenci de quando falasse com Deus sobre isso, eu seria livre, não fui.
Talvez eu nunca seja, eu não sei bem.
Mas de qualquer maneira é preciso seguir em frente de um jeito ou de outro.

Resumindo tudo o que eu quero dizer nesse jogos de palavras repetidas e aleatórias é que não julgue uma pessoa com depressão, como diz na foto que postei ai no começo desse post, é o estágio final da dor humana.

É isso.

Obrigado.

Pedro.

sábado, 23 de maio de 2020

O que eu queria?


O que eu queria que fosse diferente?
Quando vocês fazem essa pergunta a si mesmo, provavelmente deve ter dezenas de respostas e para cada resposta, muito provavelmente, as razões do porque não acontecem.
Estive pensando nisso hoje a tarde.
Não queria ser milionário, nem ter uma mansão ou ser um famoso que limpa a bunda em papel de ouro, não, muito pelo contrário, no que eu pensei hoje exige muito, mas muito dinheiro mesmo, por isso que não acontece.
Eu queria uma empresa grande, daquelas bem grandes e antigas, sabem?
Então metade seria de algo que pudêssemos reproduzir e vender para manter os gastos da empresa, a outra metade seriam dormitórios, eu iria querer recrutar moradores de rua que gostariam de mudar de vida, não seria trabalho escravo, jamais, seria apenas uma espécie de me ajudem a conseguir uma grana para pagara s contas da empresa e pagar seus salários, as capacitações de vocês, teríamos uma cozinha, não seria como essas comidas de prisão que ngm no mundo merece, teria comida gostosa, não garanto que seria tudo de primeira, mas quem resiste a um feijãozinho com arroz? E também teríamos um enorme quintal, os moradores que tem animais poderiam traze-los para morar conosco, sim, eu moraria com todos eles.
Iriamos juntos aprender repartir o pão, colocar no prato o somente o tanto que vai comer, ter juntos o prazer da água quente na hora do banho e um cobertor com travesseiro na hora de dormir.
Faríamos uma oração em conjunto, agradecendo as bençãos e a proteção, agradecendo as doações de outras empresas e pessoas, para podermos manter o local.
E então um ajudaria o outro.
Talvez alguns voltariam para a escola, aprender a ler, escrever, calcular.
Talvez outros aproveitassem a oportunidade para terminal o colegial.
Talvez alguns prestariam vestibular e passariam em faculdade pública.
E então, com o dinheiro juntado do salário, quem sabe, conseguiram conquistar seus sonhos, sua casinha, sua família e voariam bem alto para longe da minha empresa, não que eu queira isso, mas estou querendo dizer, que o passarinho machucado finalmente poderia voar sem ajuda, entendem?

Cuidaríamos dos animais, com muito carinho e amor.
Cachorros, gatos, passarinhos, o que for.
Não seria tolerado preconceito de nenhum tipo, muito mesmo racismo.
Não seria tolerado preconceito de religião, o ser humano precisa aprender a respeitar a todos.
Os moradores que tem filhos, tentaríamos coloca-los de volta na escola.
Todo mundo tem direito a aprendizagem, a esperança de um futuro melhor.
Todo mundo tem direito ao alimento, a higiene básica e um lugar para descansar.
A poder sonhar novamente.
Todo mundo tem direito a um recomeço, uma segunda chance.

Talvez você esteja pensando em como eu sonho demais com coisas impossíveis, ou talvez você esteja debochando de como supostamente eu não teria os 2 pés no chão da realidade, eu sei disso, sei que não é nada fácil, ainda mais em um país como o Brasil, mas como todos os outros, eu também tenho direito de sonhar.
E adivinhe só, pensei nisso tudo no momento em que deitei no meu sofá, com um cobertos e um travesseiro e pensei em como sou um ser abençoado por Deus com todas essas coisas, até fiz uma pequena e rápida oração, dizendo a ele sobre esses meus sonhos, talvez eu não realize isso nessa vida, mas sonhar ainda é de graça, talvez esse texto chegue até alguém que tem grana para investir e queira fazer a diferença.
Talvez...Talvez...Talvez, eu sei, eu sei.
E no fim, nessa pandemia histórica, nessa loucura épica que tem levado a vida de milhares de pessoas, que Deus os tenha, foi que eu aprendi a importância da vida, não só da minha, mas de todos que vivem aqui na terra.

Nunca vou entender todas as pessoas que foram presidentes e governadores, me pergunto se acabaram sendo cegos pela ganância, talvez os 7 pecados capitais já estejam com eles, não sei, talvez seja muito burocrático fazer o bem ao país e ninguém teve paciência, talvez eu nunca saiba o pq, mas eis o que sei, que se eu tivesse a oportunidade, caramba, nunca pensei que um dia eu desejaria trabalhar com política, mas...
Eu iria priorizar a saúde, o ensino, o meio ambiente.
Talvez eu não fosse reeleito porque focaria na classe baixa, mas seriam os 4 melhores anos da minha vida.
Eu iria querer ser aquele que mudou a história do Brasil para sempre.
Sem falar que imagina um homem trans sendo presidente do Brasil ou governador.
Se bem que nunca conheci um homem ou mulher trans num cargo de extrema importância, no país que mais mata transexuais em todo o mundo, mas esse não é o caso.

Ah!
E se fugisse da minha capacidade de lidar com seres humanos, eu gostaria de ter uma grande fazenda, adotaria todos os animais de rua e daria uma vida razoável, afinal, eles já nascem sabendo o que muitos morrem sem nunca saber: Amando, amor.

Sei que esse não é literalmente o fim do mundo, para as pessoas que se foram e estão de partida sim, mas literalmente o fim da vida humana ainda não, mas espero que Deus tenha piedade e misericórdia de todos nós e nos de a chance de sermos pessoas melhores, sermos mais humildes, agradecidos, mais tolerantes, mais qualquer coisa boa que seja.
Queria poder dizer que dessa vez vai ser diferente, mas infelizmente não posso prometer, nem por mim, imagina pelos outros.
Mas quem sabe eu esteja errado, quem sabe o amor finalmente não vence no final.
Quem sabe, as coisas da vida?
Ah! Quem sabe...

Pedro.